01 de out de 2015

5 motivos para testar e amar fotografia analógica

Olá, pessoal! Tudo bem?

Pra quem ainda não me conhece, eu sou a Dora Schmidt, do blog Parada Quinze, e falo sobre Fotografia, aqui no Coisas de Blogueiras.
Hoje vou falar sobre fotografia analógica e te dar 5 motivos para testar a amar esse jeito lindo de fotografar.

Na história da fotografia, o avanço para as câmeras digitais foi tido como uma grande evolução. As máquinas operam praticamente sozinhas, basta enquadrar e apertar um botão. Velocidade? Abertura? Nada disso, a câmera pensa por você.
Mas até que ponto vai, de fato, a “evolução” do analógico para o digital? Para mim, muita coisa se perdeu. A automação do processo tirou da fotografia grande parte de sua essência, que cativava muitas pessoas, inclusive eu mesma. Por isso, vim mostrar porque a fotografia analógica é tão apaixonante e te convencer a conhecer e testar.

Qualidade do negativo

É impossível comparar um negativo com um arquivo digital. Talvez em termos de nitidez, o arquivo se saia melhor (já que uma imagem composta por milhões de pixels é totalmente diferente de uma que é formada por grãos), mas a estética do filme é infinitamente mais bonita. Pode conferir: há vários fotógrafos que tentam reproduzir o aspecto do filme via software. Abra também seu aplicativo preferido de edição de fotos, com certeza têm vários filtros imitando as características de um negativo.

“Efeitos”

Às vezes acontecem alguns acidentes com os filmes que produzem alguns efeitos muito bacanas nas fotos. Inclusive, o ruído, que hoje é visto como defeito, é um dos charmes da fotografia analógica. Um efeito super conhecido é o light leaks, que na verdade acontece quando a tampa do filme é aberta enquanto ele ainda está sendo exposto, resultando naqueles feixes de luz azuis/vermelhos/amarelos. Outra técnica super interessante é usar filmes vencidos. Quando eles passam da validade, podem ocorrer algumas mudanças químicas que causam um efeito diferente. Não tem como saber ao certo como sua foto vai ficar, mas é uma diversão e tanto para aqueles que gostam de se aventurar e de experimentar resultados fora do esperado.

r1-02277-0000

Light leaks (fonte)

Mágica da revelação

Na minha opinião, essa é a maior perda sofrida, com a substituição das câmeras analógicas pelas digitais. Nada se compara ao sentimento de pegar as fotos de um filme revelado (ou de, para os que tiverem a oportunidade, revelar um filme com as próprias mãos). São momentos de tensão e nervosismo: talvez o filme com aquelas fotos da viagem pra Paris esteja todinho queimado, mas também pode ser que as suas fotos tenham ficado lindíssimas. É mágico ver, dentro daquele quarto escuro, as fotografias aparecendo!

Conhecimento sobre fotografia

Se você está aprendendo a fotografar agora ou se já manja dos paranauês, com certeza vai sentir algo estranho ao fotografar com uma câmera analógica. A primeira experiência é a mais legal de todas. É muito agoniante não poder ver se a foto ficou boa, se deu certo. Não tem nem preview (na verdade, algumas câmeras têm). Apenas lide com isso, migx!! A única certeza é que, fotografando com a câmera analógica, você aprende muito mais do que com a digital. É totalmente manual, você aplica todos os conceitos básicos e essenciais da fotografia (diafragma, velocidade e ISO) e utiliza um recurso que muitas vezes acabamos esquecendo, que é o fotômetro. Ele mede a quantidade de luz que tem na nossa foto, assim você sabe se ela está super ou subexposta.

Pensar a foto

Com o avanço do digital e a substituição dos filmes pelos cartões de memória, a necessidade de pensar na fotografia que você vai fazer simplesmente desapareceu. Por que você vai parar pra pensar se pode simplesmente ir clicando e depois escolher qual ficou melhor? Já fiz um post aqui no CDB sobre a importância da composição e o “pensar a foto” está diretamente ligado a isso. No analógico você tem apenas as suas 36 poses e acabou (lembrando que isso tudo tem um custo). Dessa forma, o processo de fazer uma fotografia torna-se muito mais complexo. É preciso pensar em todos os elementos que compõem a imagem e lembrar também dos conceitos de enquadramento. Se algo fica dentro da foto, naturalmente, algo fica de fora. O quê? Quais são esses sujeitos? É necessário ter essas respostas para finalmente apertar o botão de disparo.


Se você nasceu nos anos 80, provavelmente entendeu o espírito de tudo que falei aqui! Se você nunca experimentou fotografar com uma câmera analógica, ainda pode tentar, assim como eu. Existem várias câmeras analógicas usadas a venda, que são mais baratas que as novas. Não esqueçam: fotografia digital como conhecemos nada mais é do que uma evolução de uma teoria simples de uma câmara escura, com uma objetiva e superfície fotossensível.

E aí, ficaram com vontade experimentar? Quem já teve experiência com analógica, como foi? Conta tudo nos comentários!

Postado por Dora Schmidt

Gaúcha, sagitariana, estudante de jornalismo, blogo no Parada Quinze. Amo fotografia (mais do que fotografar) e o impacto que ela é capaz de nos causar, marcando a sociedade e a história. Não abro mão da simplicidade de uma vida leve como Amélie Poulain e isso se reflete nas minhas fotografias.