30 de mar de 2015

Lidando com perdas

Algumas vezes as coisas acabam e eu sei bem que não é nada fácil lidar com o fim. Durante a vida temos que superar perdas, fins de relacionamento, luto… É tanta coisa que quando colocamos tudo numa balança nos perguntamos: vale a pena?

É difícil aceitar que aquilo em que colocamos tantas expectativas, simplesmente acabou. Saiu de nosso controle, escorregou das nossas mãos. Parece irreal…. Muita gente diz que devemos manter as expectativas baixas para podermos ser surpreendidos, mas será que é isso mesmo? Temos que viver sem esperar nada, ou até esperando o pior, para que dessa forma qualquer “coisinha boa” seja uma grande surpresa? A vida é isso mesmo?

E pior, quando algo ruim acontece, somos cobrados para sermos fortes, levantar a cabeça, sorrir, seguir em frente, não deixar ninguém perceber que não estamos bem. E isso acaba com a gente. Isso de não poder chorar na rua, na frente de estranhos, de não poder “curtir” a fossa, de ter que mostrar pro ex que não estamos nem aí, que quem perdeu foi ele. Ou então, simplesmente, pra não demonstrar fraqueza. Somos ensinados a não incomodar os outros com a nossa tristeza.

Mas acontece que todos temos os direito de nos sentir tristes… Mas devemos nos lembrar que a tristeza, assim como a alegria, é temporária! Não tenha medo de pedir ajuda, não tenha medo desse negócio de incomodar os outros… Você pode e deve se abrir com alguém, demonstrar fraqueza e aceitar ajuda. Não espere passar, não espere pra fazer tudo melhorar e colocar tudo no lugar. Não espere segunda-feira para começar, não espere mês que vem pra mudar. Está triste? Chore sim! Bata no travesseiro, ouça Kid Abelha e outras músicas depressivas, mas não tome decisões. Não decida nada quando estiver triste demais… E também não decida nada quando estiver feliz demais. Espere a calmaria.

“Calma, vai passar”, eu sei, todo mundo diz isso. Mas vai passar quando? Amanhã? Provavelmente não… Vai demorar, vai doer por uns tempos, dias, semanas, meses, anos… Mas vai ter um dia que não vai doer mais tanto assim…

Pra mim demorou bastante… Eu torço pra que você não demore tudo isso, mas tudo dói.

Você vai encontrar em seu caminho pessoas que vão te achar bobo por sofrer “só por isso”, vão dizer que na vida há problemas maiores e piores, mas lembre-se: ninguém está inscrito em uma olimpíada de problemas. Nossa vida é curta demais para não explorarmos nossos sentimentos e conhecermos o lado bom e o lado ruim.

É importante sim pensar sempre no que valeu a pena! Oras, não é possível que tenha sido tão ruim assim! Quantas pessoas tem o direito de passar por momentos tão mágicos? Pense no bem que a pessoa que partiu te fez e em como ela gostava de ver o seu sorriso e a sua força. Viva! Seja egoísta nessas horas: você tem esse direito! Pense no que foi bom pra VOCÊ, no que você fez de bom todo esse tempo! Só ou acompanhado.

O ser humano é altamente competitivo e não sabe perder, mas perder faz parte. Perdemos o tempo todo! Algumas perdas são mais tranquilas, já outras… Grudam na gente que nem piche e pra tirar vai bem mais que um simples banho… Só que só o fato de termos sorrido ontem já quer dizer que poderemos sorrir um dia novamente, é sério, você vai sorrir de novo, acredite em mim!

Vá dormir, pense um pouco, deixe as coisas pra depois e acorde amanhã. Coma algo gostoso, mude o caminho que você faz todo dia, nem que seja só ir pelo quarteirão de trás ou descer do ônibus um ponto antes e andar um pouco mais. Andar ajuda a liberar endorfina, nos faz bem, ajuda a saúde e outra, a gente nunca sabe em que rua a vida vai nos surpreender!

Guarde um amuleto que represente o que você pode tirar de bom dessa perda… Um pingente, um chaveiro, uma tatuagem, algo só seu. Se dê o direito de tirar uma licença, de faltar da aula, de se afastar do mundo… Se dê o direito de trocar a companhia das pessoas pela companhia dos animais, da natureza, mas lembre-se que o mundo lá fora também precisa de você. Que sua perda é significativa, mas que não é justo você fazer com que aqueles que te amam também percam você.

Tome uma cervejinha fora de hora, devore um chocolate, mude a cor do cabelo, vá sem gravata pro escritório. Faça alguma coisa que você sempre quis muito, nem que seja só por um dia, antes que tudo volte a ser como era antes. Não se importe em chorar na frente dos outros, quem não quiser entender a sua dor, que saia de perto! Aproveite esse tempo para se conhecer melhor e saber mais sobre tudo que você é capaz de sentir e, quando estiver pronto, faça novos planos.

Tem jeitos melhores pra superar a dor… O que não significa que você não vá senti-la!

Dizem: “mantenha-se ocupado para o tempo passar mais rápido”. Sim, isso é bom, mas também se dê ao luxo de se manter na inércia, na fossa! Durma, pense, só não se prenda a isso. Lembre-se que você ainda tem uma vida inteira pela frente e PRECISA fazer coisas e ver pessoas, por mais que isso pareça um pouco torturante… Tente tornar as coisas agradáveis, arrisque-se mais!

As pessoas passam pela nossa vida para nos ensinar coisas, sentimentos e valores. Ninguém é eterno, nem eu, nem você, por isso todo mundo tem que um dia partir, uns só partem primeiro que os outros. Parece clichê vir nessas horas te falar que tudo tem um “porquê”, mas a verdade é que tudo traz um ensinamento e isso é a coisa mais preciosa da vida. Somos seres esplêndidos, nascemos e morremos sozinhos, mas durante a vida podemos tirar tanta coisa boa de outras vidas, do compartilhar… E é isso que tem que contar no final…

Afinal de contas, tudo passa… A vida passa… E quando tudo isso também estiver chegando ao fim, você precisará de momentos bons pra se lembrar!

Postado por Aime Reis

Também conhecida como: Klaryan. Tem vinte e alguns anos e é blogueira há 15, dona do Klaryan.com, mora sozinha, já morou em Portugal e ama escrever! Formada em Letras português/japonês/espanhol, sonha em ser poliglota, mas sempre esquece as palavras que estão na ponta da língua. Ama compartilhar aquilo que sabe e aprender sobre o que não sabe, pra compartilhar também...


  • Rai Louven

    Em 30.03.2015

    Siim… parabéns pelo texto! Eu concordo com você… 😉

    Responder

  • Aime Reis

    março 31st, 2015

    @Rai Louven, obrigada pelo carinho! que bom que o texto te agradou! <3 beeeijo

    Responder

  • Ohara

    Em 30.03.2015

    Sim, concordo totalmente com você em número, gênero e grau. Quando eu falo que as melhores categorias do cdb é receitas, comportamento e textos, não
    estou mentindo&ta, pode deixar as receitas pra escanteio, mais ong? obrigada por escrever essas palavras, é com coisas desse tipo que a net fica mais
    linda a cada dia que se passa! até me assustei quando li a cima ”se dê o direito de faltar uma aula” spério, eu li isso? não entendi muito, mais
    entendi por um lado, e eu la pensava q a gente tinha direito de faltar uma aula ou dia de trabalho&texto muito lindo!

    Responder

  • Ohara

    Em 30.03.2015

    A Aime, aproveitar q eu ja to aqui no blog, meio nada a ver mais.. sobre aquele desafio do 101 coisas em 1001 dias q vc fez no seu blog, oq era ”
    “fics”, “kawaii e “sonserinos? é blogs q vc participava? é o blog letras era projeto de facul? e vc não fez o blog da lingua estrangeira? eu queria
    saber muito, se vc poder ajudar uma leitora curiosa, obrigada se responder!
    A! e o kla.com nunca foi wordpress desdo inicio?
    Mil beijos

    Responder

  • Ohara

    Em 30.03.2015

    A! #detestomeesquecerdealgumacoisa
    E se pocível poderia deixar o link do
    blog letras
    O blog de lingua estrangeira
    E o fics, kawaii e sonserinos.
    Beijos!

    Responder

  • Ohara

    Em 30.03.2015

    E como contar quanto tempo vai dar 1001 dias? tipo, eu começo dia 5 d maio de 2017 ate dia 8 de setembro de 2019

    Responder