04 de set de 2015

Para o novo amor do meu amor

222

Espero que a essa altura você já saiba que ela detesta balada e que música alta e gente aglomerada não combinam com o seu ideal de diversão. Ela vai amar se você levá-la ao cinema para ver alguma comédia romântica bobinha, eu sempre achei esses filmes um porre e por isso quase não a levava, mas sei que ela ficava imaginando como seria viver um amor daqueles. Seja esse amor pra ela.

Não deixe pra se arrepender depois, ela não costuma dar segundas chances. Prepare um jantar romântico e busque-a de surpresa no trabalho, não importa se você sabe ou não cozinhar pois te garanto que ela vai falar que estava ótimo ainda que seja só pela companhia. O macarrão dela é horrível, mesmo assim ela insiste em tentar uma nova receita todo domingo. Procure não fazer careta na hora de engolir, ela vai perceber e vai rir do seu esforço. Quando ela desistir de comer o tal macarrão, convide-a para almoçar naquela cantina da rua dela. Faça de tudo para deixá-la feliz, faça tudo o que eu não fiz.

Não esquece que ela odeia café doce. Quando estávamos juntos eu era acordado todo dia com o cheirinho do café no fogo. E ela dizia que nenhum café supera o dela porque o dela tem amor. E tinha mesmo. Transbordava amor de dentro dela. Ela é intensa e talvez por isso prefira café amargo. Com ela é tudo ou nada, oito ou oitenta. Era isso que mais me atraía.

Eu deixei ela ir e meu Deus, como eu me arrependo. Cuida dela cara, cuida bem, porque ela tem esse jeito de mulher independente – que até assusta um pouco – e vai te falar o tempo todo que não precisa de ninguém, nem mesmo de você. E ela não precisa mesmo, pois aprendeu a se bastar depois de tantos pontapés e tombos que a vida lhe deu. Mas saiba que no fundo ela é uma menina-mulher louca por um colo e um cafuné. Ela se faz de forte, mas desaba o tempo inteiro com qualquer filminho de amor ou buquê de flores. Ela ama ser mimada mesmo que não admita, e também ama surpresas mesmo que ela negue. Ela é toda às avessas, diz o que odeia e ama o que não diz. Ela gosta desse enigma que as palavras podem criar. Na verdade ela é um enigma, e adora isso.

Desvende-a, porque ela quer alguém que prove que a conhece melhor do que qualquer outra pessoa no mundo. Eu até a conhecia, mas não fui capaz de provar isso. Então vai lá, protege ela por mim, beija ela por mim, abraça ela por mim, dê o mundo pra ela e prova que você tem todo o amor que ela precisa. E, por favor, seja muito melhor do que eu fui.

Postado por Gabriela Freitas

Eu? Uma mistura de tudo que eu escrevo. Coração, alma e um pouco de corpo. Gabriela Freitas, sou paulistana direto da cidade da garoa, escritora, dona do blog Nova perspectiva e quando sobra tempo estudante de jornalismo. Insegura, dramática e um tanto áspera. Personalidade forte, meio agridoce, sabe?!