07 de out de 2015

Desapegue do passado

A pedidos… Estou escrevendo um post sobre desapego, mas não estou falando apenas do desapego amoroso, mas, principalmente, da necessidade de desapegarmos do passado. As pessoas são, por natureza, apegadas. Nós nos apegamos a objetos, memórias e pessoas. Nos apegamos a coisas que sabemos que terão fim… Veja só, me apego até a livros, que sei que acabarão. E o que faço quando eles acabam? Leio de novo. E de novo. E de novo. Leio tantas vezes que decoro todas as partes. É isso que fazemos todos os dias. Nos torturamos com memórias que já foram, repetimos cenas, apertamos o replay e não pensamos na consequência que isso pode nos trazer.

E a maior vilã dessa história é a nossa mente, capaz de dramatizar as situações mais comuns da vida. Se você apenas sentar por um tempo, irá notar sua mente tendo vários flashbacks sobre o seu passado, imaginando seu futuro e refletindo sobre seu presente. A mente é particularmente viciada no passado, porque o passado, geralmente, dá uma sensação de “identidade”. É difícil para a maioria das pessoas deixar seu passado, porque elas tiram a sensação de quem são a partir dele.

Apegar-se a seu passado vai garantir que o seu futuro carregue a mesma “essência”, e sua vida parecerá estar se movendo em círculos sem nada de novo, é aí que mora o problema. Deixar o passado no passado é realmente muito difícil. A maioria de nós tem muitos problemas como o desapego. Entenda que o desapego é se libertar de tudo aquilo que faz mal e causa sofrimento. Desapegar é sinônimo de se libertar. Soltar as algemas. Colocar asas. Se permitir voar novamente. O desapego é a aceitação, é o desprendimento.

“Você nunca vai ser feliz se não se permitir. Não se apega, não. Desocupe lugares. Incinere o velho para abraçar o novo. O passado só existe em fotografias, as pessoas mudam, o coração cicatriza. Aquele que se recusa a mudar se recusa a ser feliz.” – Isabela Freitas

Pare de se definir baseando-se em seu passado

É um hábito inconsciente que você aprendeu ainda criança, você passou a definir quem você é com base “no que aconteceu” com você. Um exemplo bem simples: se um dia você tirou nota baixa em matemática, você pode acabar acreditando que é péssimo em matemática ou que é um aluno fraco. Isso é como a mente funciona, ela rotula tudo, inclusive nós mesmos. A maioria dos adultos ainda estão se definindo com base no que aconteceu com eles no passado. Esta é uma maneira muito complicada de viver a vida, porque a vida é reflexo do que você pensa que é.

Então essa é a primeira dica: uma nova maneira de viver é deixar de ficar criando rótulos com base no passado. Por que você precisa rotular a si mesmo? Não há livro de regras que diz que é preciso definir quem é você para viver a sua vida. E sabe o que é pior? A vida não para. Enquanto você segura o passado até que suas mãos sangrem e não suportem mais, o presente continua e você nem percebe que poderia estar construindo novas lembranças, ao invés de se agarrar às antigas.

Acostume-se com mudanças

Há um ditado que diz: “A única coisa constante na vida é a mudança.” A vida é uma eterna roda gigante. Ora estamos em cima, ora estamos embaixo. Tudo na vida é mutável, tudo mesmo, inclusive nós. Por isso precisamos aprender a “deixar ir”. Nada é para sempre, por mais que queiramos que seja. Aquilo que sentimos de uma determinada forma hoje, muito provavelmente não poderá ser sentida da mesma forma novamente. Neste mundo confuso, nada é permanente a não ser a própria mudança. Então acostumar-se com isso, fará com que você aceite o futuro mais facilmente.

Você não pode mudar o passado

Como eu disse antes, tudo na vida vai e vem, mas há uma coisa que não se altera: o passado. Pelo menos de forma concreta. Como está definido no dicionário, é algo que está acabado, completo e já não está mais na existência. Nós nunca poderemos voltar atrás, a estar no mesmo lugar, ao mesmo tempo, nem para nossos erros ou nos proteger de nossas decepções. Aliás, precisamos de decepções para amadurecer. Se não existissem as dores do mundo, seríamos todos frágeis e fracos. Nós já sabemos que desejar mudar o passado é algo inútil, mas como seres humanos que somos, muitos de nós continuaremos a lamentar e a ter a esperança de voltarmos a ter a chance de fazer tudo novamente. Mas por quê?

Há momentos em nossas vidas em que nós simplesmente não conseguimos deixar as coisas ir. No que diz respeito ao amor, todas as pessoas que viveram uma separação ou perda certamente sentiram dor e mágoa. O desapego é saber a hora de se despedir de coisas que não têm mais espaço na sua vida. Pode ser memórias de pessoas que já se foram, mas que ainda prendem você ao passado. O desapego pode ser aprender a se despedir na marra, já que muitas vezes não temos escolha. O desapego é saber a hora de ir e deixar partir. É essencial percebermos que aprender com o passado e viver com ele ou dependente dele, são duas coisas diferentes.

Aprenda com o passado

Há apenas duas escolhas que você tem: ou você aprende com o que aconteceu, ou vive com isso para o resto da sua vida. Para aprender com o passado é necessário muita força de vontade e coragem, pois terá que aceitar o fato de que algumas coisas que você fez não correram bem, que você muitas vezes errou ou sofreu alguma injustiça. A vida não é uma estrada lisa por onde podemos viajar sempre calmamente, ela é cheia de curvas, voltas e reviravoltas.

Você tem que se perguntar se você está disposto a “esvaziar sua mente” para a vida, se você está disposto a deixar tudo que já foi para trás. Porque nós precisamos aprender, precisamos nos machucar. O coração precisa se partir para aprender a se reconstruir. Você vai cair, se machucar, chorar e até mesmo pensar em desistir. Vai se prender a lembranças e segurar o passado junto do coração. Depois vai perceber que todo o seu esforço é inútil e que precisa seguir em frente. Vai procurar forças em livros de autoajuda e até mesmo nos conselhos de sua manicure haha Vai se olhar no espelho e se sentir a pior pessoa do mundo. Por que tem de ser assim? Para você aprender a se reerguer.

Aquele que consegue colocar o desapego em prática atinge um estado de paz interior e tem a consciência limpa de que deixou o passado onde ele deveria estar: no passado. E que o presente é sempre um presente. E que o futuro virá recheado de novidades. Quando você vive a vida desta forma, todos os dias serão renovados, e trarão alegria e abundância como você nunca experimentou antes…

Postado por Carla Vieira

Uma paulista baixinha de 17 anos, ansiosa e determinada, que sonha alto demais. Sou uma rata de biblioteca, sinto a necessidade de viver outras histórias e poder entrar em um mundo que não é meu. Também amo escrever. Aqui no blog, irei mostrar a vocês a minha visão de mundo! Se quiser me acompanhe também pelo meu blog pessoal.