13 de mar de 2015

Fica

Fonte: Favim

Fonte: Favim

Eu não estou bem pra conhecer alguém agora

Essa foi minha última frase para uns quatro caras que conheci de uns meses para cá, não que eu seja tão desejada assim, mas não foi esse assunto que me trouxe até aqui. Já faz um tempo que não encontro alguém que me faça falar: “Eu não quero saber sobre o depois. Fica.

Aqueles amores em que você briga e faz as pazes na cama, aqueles cheios de mimos, que atende tuas caricias e manhas, tem paciência, te conhece e que a parte desconhecida ele sempre tenta desvendar. Aquele amor que está em todos os seus planos, que sem ele seu futuro não existe, aquele que te faz flutuar, mesmo você querendo colar os seus pés no chão. Eu quero mesmo conhecer alguém que me faça sentir tudo isso.

Não estou criando expectativas nem idealizando um amor, não quero o alguém ideal que já se tornou um estereótipo, só alguém que me faça sentir tudo isso. Já senti uma vez e sou grata por tudo o que aconteceu, embora o fim não tenha sido o dos melhores, mas esse também não é o motivo por eu estar aqui. 

O motivo de eu estar aqui é sentir falta de quando alguém te abraça e você não sente a menor vontade de soltar, sentir uma coisa estranha, que não tem como descrever. Uns dizem ser borboletas no estômago, outros dizem sentir calafrios, eu não entendo o porque dos calafrios, mas prefiro dizer que o que sinto é amor. Sabe aquele sorriso que você gosta demais e até tenta fazer algumas cócegas só pra vê-lo de novo? Aquele amor mesmo, aquele que você fica inquieto, mas sente uma paz enorme quando deita ao lado e esquece seus olhos sobre os dele, esquece a hora, esquece a chuva, que insiste em fazer barulho enquanto tudo o que você quer é ouvir a respiração dele e depois de dizer que te ama. 

Eu conheci um cara um tempo desses, mas não sei o que deu errado, ele está em muitos textos espalhados por aqui, estou melhor do que nos textos antigos, confesso, até escrevi sobre a importância de aprender a viver só, antes de viver ao lado de alguém. Talvez tenha sido esse o problema, mas esse também não é o motivo pelo qual eu estou aqui, escrevendo, enquanto ouço uma trilha sonora perfeita, confesso estar sendo difícil selecionar uma única música para listar aqui. Falando em música, o amor que eu digo é aquele que se faz presente em toda música que você escuta.

Estou falando mesmo daquele amor com o qual você não se incomoda em desafinar numa canção, você canta porque aquela letra conta sobre como é o amor de vocês, você não se incomoda em recitar uma poesia, em ver um filme no sábado à noite. Eu não estou saindo por aí procurando esse amor, sou sincera quando digo que estou bem com a minha vida e comigo mesma, acredito que dentre essas pessoas que eu conheço vez ou outra ele vai aparecer, ou ele volte lá do passado, não importa, desde que venha. É que eu sou aquela boba apaixonada de sempre, independente do que aconteça eu prefiro sempre os romances – reais e fictícios – e, entre um adeus e outro, espero conhecer alguém que me faça pedir para ficar e que fique não porque eu pedi, mas porque ele também queria um amor assim e acabou de encontrar.